Cartão vermelho para o juiz

Apesar da censura do Facebook, à qual já estamos acostumados, algumas dessas imagens circularam bastante na rede desde a re-abertura do Maracanã no último domingo. É o contraste do carnaval de rua do Rio de Janeiro com a praça de alimentação do shopping center (muito parecida com a sala de embarque do aeroporto):

(Foto: Ricardo Azoury – http://www.ricardoazoury.com/)

(Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil, via portal2014.org.br)

Mas a imagem que mais esclarece essa transformação (do estádio, da cidade) é a seguinte:

A geral do Maracanã era uma extensão direta da rua – o que se exacerba no Rio, onde a rua ainda é a alma da cidade, onde a vida de bairro de calçadas cheias de gente ainda resiste, e não em pequenos bolsões acuados, mas em toda a cidade (com a óbvia exceção da comarca da Barra da Tijuca). A rua, ao entrar no estádio, fazia deste uma parte da cidade parecida com a praia ou a praça em dias de festa.

O novo Maracanã entra no time do shopping center, da via expressa e do condomínio fechado – é o urbano que despreza a rua e aquilo que ela representa: o encontro, a vivência com o outro, com formas distintas de liberdade. Juiz ladrão: deu cartão vermelho para a rua e carregou o estádio para dentro de um shopping na Barra.

Anúncios

Uma resposta em “Cartão vermelho para o juiz

  1. O Macara com seu legado ao Rio e ao Brasil perde sua relação com a rua e com a apropriação popular em um processo anunciado e consentido pela população carioca. A única voz mais atuante e presente foi a do Chico Alencar quem em seu pronúnciamento revela a derrota antes do jogo (http://www.chicoalencar.com.br/_portal/pronunciamentos_do.php?codigo=244). Existem outros processos em andamento de transformação da área que estão na pauta do conflito necessário de construção da cidade. Nesses processos é preciso que aqueles que são críticos se organizem e busquem os meios para fazer presença diante a produção desse recorte que não envolve só o Maraca (Complexo Esportivo) e o “Museu do Índio”, mas também os modais de transportes ferroviários e o Parque da Quinta da Boa Vista que se encontram no entorno (http://bit.ly/WnZPLy).

    Aquele abraço…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s